26 de abr de 2007

LAM E JIMI


Um bilhete para Jimi Hendrix (o maior guitarrista de todos os tempos morreu há 33 anos)

Caro Jimi,

Você não gosta dessas coisas de homenagem, eu sei. Você passou a vida dando gargalhadas e tocando a mais visceral guitarra de todos os tempos. Mas, meu chapa, para mim (e para milhões de pessoas em todo mundo) é difícil passar pelo aniversário de sua morte em branco. Se bem que você morreu e não morreu. Morreu quando os médicos te enfiaram naquela ambulância em Londres, em 18 de setembro de 1970. Você passava mal, mistura de stresss com Valium, na casa de uma bela namorada, Monika Danneman, que também subiu há uns três anos.

Era madrugada. Apavorada ela ligou para Eric Burdon, do Animals, seu amigo de fé, e Burdon gritou "chame uma ambulância, Monika!". Ela chamou e os médicos colocaram você sentado com a cabeça virada para trás. Chegou morto no hospital asfixiado pelo próprio vômito. Nada de overdose de heroína, disso ou daquilo. Eu e um monte de jornalistas temos dedicado zilhões de linhas explicando ao público que você não usava drogas pesadas conforme o esquemão quis mostrar. Você morreu de lambança médica. Por isso morreu indignado pois amava a vida como poucos. Sei disso porque li, leio e lerei sempre tudo sobre você, além de acessar quase diariamente o seu site oficial em www.jimi-hendrix.com , tocado com bravura por sua família. Ouço seus programas de rádio, suas gravações caseiras, cada dia tem uma novidade. Por isso digo que você morreu e não morreu. Não morreu porque está vivo na Internet, nos discos, nos filmes, DVDs.Jimi, como sempre faço nesses 33 anos, mais uma vez o reverencio neste setembro de 2003. Aqui no LIG e na TV. Amanhã, domingo, as 21:30 h no Canal 36 da TV a cabo Net, meu programa "Música" vai mostrar parte de um magistral documentário de 1973 sobre você, com depoimentos de Eric Clapton, Pete Townshend e o seu, é lógico. Além da fala comovida de algumas dezenas de mulheres que você amou. Sabe o que vai rolar, Jimi? Aquela antológica performance sua no festival de Monterey, 1967, quando depois de transar com a guitarra você ateou fogo. Essa cena deixou o mundo de boca aberta. É a foto deste artigo, que vai ser lido em muitos pontos do mundo pela Internet (www.ligjornal.com.br), onde as pessoas te amam.

Como sempre, essa semana fui à minha igreja, a Betânia. Igreja linda, tranqüila, ética, Jimi, com músicas e músicos maravilhosos (o guitarrista Henrique é mestre em slide e toca um blues que lembra os de J.J. Cale e Mark Knopfler), e nos banha de um astral maravilhoso. É nessa igreja que reflito, penso, e ouço a palavra íntegra e realista de pastores como Josué, Reginaldo, Cláudio, Téo. Foi a Betania que me ensinou a conversar com Deus. Meu amigo Roberto Marra me levou lá em 1985 e me apresentou ao Téo, amigo, irmão muito querido. Depois de uma sumida, voltei no ano passado e Josué me mostrou o "Quarto Secreto". Um dia, dentro do meu "Quarto Secreto", deitado nos braços de minha querida Itaipu, ouvindo você tocar "Little Wing" no som do bar do Neno (o Sabino´s), eu pensei "Jimi pode ter virado um anjo". Por que não? Está aqui em uma de suas biografias: "A última frase de Jimi Hendrix em público foi "obrigado, paz a todos e até logo".
Pois é, Jimi, você não só sonhava com o bem de todas as pessoas como lutou bravamente por isso. O mundo nunca esquecerá quando, num visceral protesto contra a guerra do Vietnã, você tocou em sua guitarra o hino dos Estados Unidos com efeitos de bombas. A CIA e o FBI pensaram até em te prender, mas o escroque do Nixon disse que ia pegar mal. E ia mesmo. Eu acho mesmo que você virou anjo. Anjo da guarda da música e das mulheres, suas razões de viver, segundo você mesmo. Seu "crime" foi revolucionar a música, brigar pela paz, pelo fim da fome no terceiro mundo, pelo respeito a todas as raças e sorrir, gargalhar, gozar nos palcos. Jimi, como você gosta de tocar. Estou ouvindo você agora em "Vodoo Chile", ao vivo. Nossa!!! Nossa, Jimi. Quantos dedos você tem, meu chapa???? Pode falar!!!!
Você nasceu em Seatle, Jimi. Filho de negro com índia. Seatle é densamente musical, como Chicago, Nova Iorque, Londres. Niterói, minha cidade, cidade do LIG, também é uma usina nuclear de música e músicos. Por isso sugiro a todos os artistas que vão tocar nas noitadas deste fim de semana: amigos, TOQUEM UMA MÚSICA DE JIMI HENDRIX em homenagem aos 33 anos de sua morte. Mas toquem fundo, deixem os amplificadores explodirem, abrirem o bico, pedirem clemência. Hendrix matava dúzias e mais dúzias de gigantescos amplificadores Marshall. Não economizava energia. Portanto conterrâneos, o negócio é guitarras com a chave em Hi e amplificadores no pico. Hendrix merece. Niterói merece. Nossa paz interior merece. Então meu querido primo Felipe Melo, vai arrasar? Afinal você é reconhecido por todos como um dos melhores intérpretes de Hendrix na América Latina.Um dia desses, numa conversa de esquina (tem uma princesa que me chama de fuxiqueiro, que engraçado), perto da banda de jornais do Paulinho, no Ingá, um cara que não conheço deu aquela abordada de leitor. É sensacional ser abordado por um leitor no meio da rua. Esse é leitor do International Magazine (nas melhores bancas), onde escrevo três páginas caóticas todo mês. Voltando ao leitor, falava de Hendrix e Steve Ray Vaughan, seu provável sucessor, que morreu num estúpido desastre de helicóptero no início dos anos 90. Lá pelas tantas, o leitor (visivelmente tomado de cachaça) perguntou: "Você acha que Jimi Hendrix já viu Deus?". Hummmm...quer saber? Viu sim. Com certeza. Primeiro porque acredito que quando vamos embora, subimos, vemos Deus. Todos nós. Mas Hendrix, por tudo de bom que fez e deixou, certamente não só viu como conversou longamente com Deus sobre a estupidez humana que fabrica guerras, crianças com fome, seqüestros, injustiça. Imagino ele dando um rolé com Chopin, Debussy, Luther King, Che Guevara, Tom Jobim, Renato Russo. Tanta gente boa sobe, né?
Hoje escrevo menos para dar mais espaço às imagens. Vamos celebrar a paz! Vamos ouvir Hendrix neste fim de semana.

( Artigo escrito por Luiz Antônio Mello para a edição do jornal Lig de Outubro de 2003 )
Obrigado LAM !
Você através da "Maldita", Fluminense FM foi ,ou melhor, é o "Pai do Rock Brasil "
"Quem precisa de 'ESPAÇO' é astronauta!
Músico precisa é de reconhecimento profissional."
O Senador Cáustico

21 de abr de 2007

“ O TIO inSAMno e a VIRGÍNIA atentada”



Ora, Ora , o que acontece ao Tio Sam !?
No virtual , na simulação , nas revanches cinematográficas e com guerras que não “guerreou de fato”, ele se fez e também se desfez de muita gente, com arrogância e a prepotência de uma nação que acorda John Wayne , almoça Capitão América, janta e dorme Super-Homem , mais que já de muito tempo tem defecado Unabomber,Charles Whitman, Timothy Mcveigh, Dylan Klebold, Eric Harris,Cho Seung-Hui e Beijamim Nathaniel Smith.
Senão ,vejamos:
Na Segunda Grande Guerra Mundial , com a contemplação e êxtase de seus parceiros e aliados Bio-escrôtos do plantão neoliberal, duas bombas atômicas suas desgraçaram e desgraçam até hoje milhares de famílias japonesas.
Em 1950 , na Coréia , fracasso ardente em plena “Guerra Fria” que se iniciava.
No Vietnã, 15 anos produzindo carnificina e revoltas civis internas (Panteras Negras e Hippies) , usando de parcerias através da CIA , com traficantes de heroína para “contaminar” guetos e bairros negros envolvidos nos movimentos por direitos civis.
World Trade Center , Columbine, Oklahoma e Virgínia, enfim, feridas traumáticas, que haja “Rambos” para exterminar todas elas , cada vez mais expostas e concentradas em meio as lágrimas e “pó Novaiorquino” e ao Loser assumido da Virgínia.

*Timothy McVeigh- Jovem americano de classe média e ex-fuzileiro naval , responsável pelo atentado a bomba em um prédio federal na cidade de Oklahoma, EUA, em Abril de 1995 , matando 168 pessoas entre as quais 15 crianças .


* Cho Seung-hui, sul-coreano,23 anos, aluno do último ano do curso de Letras - Assassinou 32 pessoas dentro do edifício de engenharia no campus da Universidade técnica da Virgínia , no dia 16 de abril de 2007.


* No dia 1º de agosto de 1966, o estudante Charles Whitman, 25, matou 14 pessoas nas proximidades da Universidade do Texas, em Austin, depois de esfaquear a mãe e a mulher à morte. Ele acabou morto a tiros por dois policiais.


*Beijamin Nathaniel Smith- Estudante universitário norte-americano, membro do grupo de extrema direita Igreja Mundial do Criador, que em 4 de julho de 1999, a partir de sua cidade natal, Bloomington,percorreu os Estados de Indiana e Illinóis, atirando contra asiáticos, judeus e negros , considerados por ele mesmo como “pessoas sujas”. Smith que propagava sua seita pela internet , preferiu o suicídio a se entregar.
* Dylan Klebold e Eric Harris - Em 1999, dois alunos da escola Columbine, no Colorado, também dispararam vários tiros. Dylan Klebold, de 17 anos, e Eric Harris, de 18, armados com revólveres e bombas de fabricação caseira, entraram no refeitório e na biblioteca. Assassinaram 12 alunos e uma professora e em seguida se mataram.


O Senador Cáustico