31 de jul de 2007

O Ensino Médio não forma "cidadãos-produtores"

O ensino médio deve exercer o papel de estimular a formação de “cidadãos-produtores”, ou seja, alunos que possam relacionar, questionar, pensar, construir e reconstruir e professores dispostos a interagir, ouvir, reformular, mas principalmente, renovar e reciclar seus conhecimentos e conduta no convívio com seus pares e alunos.
Professores e alunos que possam de fato, participar como sujeitos na reprodução e criação de uma cultura renovada e renovadora (teoria e prática), capaz de criar soluções originais para antigas e novas situações concretas do cotidiano, como por exemplo, o novo enfoque dado às questões múltiplas que envolvem os efeitos resultantes da contínua degradação do meio ambiente.
Um ensino médio que lhes estimule a criatividade através do domínio de um conhecimento amadurecido e produzido com auxílio da prática interdisciplinar dos seus professores e também do material tecnológico e humano, disponível ou não na escola, ou seja, computadores (imagens, músicas e informações on line), salas de vídeo ou cinema, workshops, palestras e cursos de extensão, incluindo neste rol o ensino virtual, para alunos e mestres.
É fundamental absorver as inovações tecnológicas, mas respeitando sempre a realidade cotidiana específica de cada escola.


Renato 'Zanata' Arnos, músico e prof. de História.

26 de jul de 2007

ORKUT : Paraíso dos escrotos virtuais


O site de relacionamento Orkut tem sido uma ferramenta bastante utilizada por preconceituosos, racistas e por covardes e mentirosos que através da internet se sentem encorajados a ofender e causar danos morais a outros usuários da rede, apostando na impunidade eterna, o que atualmente tem sido um erro grave de avaliação.
Esta sensação de impunidade, cada vez mais equivocada, diante de decisões jurídicas recentes*, favorece a potencialização de traços já existentes na personalidade desses escrotos virtuais.

* "A publicação, em comunidade do site de relacionamento “Orkut”, de foto e texto ofensivos a um aluno de uma faculdade de Contagem levou à condenação do criador da comunidade, também aluno. Ele terá que indenizar o ofendido, por danos morais, em R$3.500,00. A decisão foi da Nona Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais(...)"

(
www.juristas.com.br, 20.4.07 - Ofensas pelo Orkut geram indenização )

* "O juiz Hamilton Gomes Carneiro, do Juizado Especial Cível e Criminal de Cristalina, concedeu medida requerida pelo Ministério Público (MP) e determinou ao Google a retirada de duas comunidades do site de relacionamento Orkut e estipulou multa diária de R$ 20 mil por dia de atraso, em caso de descumprimento da ordem judicial. São elas: "Boatos & Fofocas de Cristalina" e "Fofocas Cristalina Sem Censura". Além disso, mandou que a empresa fornecesse a identificação eletrônica do computador de onde foram criadas as comunidades e, ainda, dos cadastrados que hipoteticamente ofenderam a honra de pessoas por meio delas(...)"

(
www.juristas.com.br ,28.6.07 - Juiz manda Google tirar comunidades do Orkut )


* "A bacharel de direito, Jamile Paula Gluchowski, 23 anos, é a primeira pessoa de Mato Grosso e a segunda do País a ganhar uma ação reparatória por danos morais no Orkut. Ela deve receber R$ 14 mil de Julyana Eike Sonoda e Mahyara de Oliveira por terem criado uma comunidade intitulada “Odeio Jamille Jamel”.A decisão definitiva é do Juizado Especial Cível, em Cuiabá (MT). O valor da indenização é o teto máximo das ações movidas pelo juizado. A sentença não foi atacada por recurso.“Eu fiquei sabendo da comunidade no dia 27 de abril de 2005 por meio de um amigo que acessava o Orkut e recebeu o convite das agressoras. Ele imprimiu e me entregou. No mês seguinte, entrei com uma ação na justiça”, conta Jamille. A comunidade foi retirada do ar em junho de 2005 por determinação judicial.A jovem conta que entrou com a ação na justiça estadual sozinha, quando ainda cursava Direito em Cuiabá (MT), mas um amigo a acompanhava nas audiências. As duas rés não recorreram da decisão da Justiça. Houve tentativa de reconciliação, mas elas não compareceram.A ré da ação Julyana Sonoda está no Japão. A outra, Mahyara de Oliveira está desempregada.“Não é o valor da ação que é importante porque é muito pouco pelos danos que me causaram. O bom de tudo isso é o apoio de gente do mundo todo e que isso sirva de exemplo para os internautas saberem o que fazem na Internet. A justiça foi feita”, comemora Jamille(...)"

(
www.juristas.com.br, 25.12.06 Injuriada no Orkut, jovem ganha indenização a ser paga por duas ofensoras )

DENUNCIE:

D.R.C.I ( Delegacia de Repressão a Crimes da Internet )

Tels: ( 21 ) 3399-3200 / 3399-3204
End: Rua da Relação, 8º andar, Cinelândia, centro, rio de janeiro – RJ

25 de jul de 2007

PERTINENTE


"Nós, na América Latina, só podemos ser indignados ou resignados. E eu não vou me resignar nunca."


"Ainda hoje os intelectuais brasileiros não lêem os pensadores brasileiros, mas citam e recitam os autores estrangeiros. Eles se recusam a criar um pensamento original."


( Darcy Ribeiro, antropólogo, indigenista, romancista, educador e político )

22 de jul de 2007

ENFIM, PARA O BEM DO FUTEBOL...

BANEGA, MORALEZ , AGUERO E CIA MÁGICA !


A seleção de futebol da Argentina venceu por 2 a 1 a República Tcheca, neste domingo, 22 de julho e conquisitou o Mundial Sub-20 do Canadá.
Os Argentinos já haviam conquistado os títulos de 1979, 1995, 1997, 2001 e 2005. Com o título conquistado ontem, chegaram ao sexto título mundial.
Os Tchecos abriram o placar aos 15 minutos do segundo tempo, com um belo gol do atacante Fenim.
Mas logo depois do gol Tcheco, aos 17 minutos, o capitão e craque Agüero empatou a partida depois de grande jogada do excelente meia Benega.
O atacante Zárate, aos 41 minutos, aproveitando um momento de rara liberdade dada pela zaga tcheca, chutou de fora da área virando o placar para os Argentinos, fazendo o gol do título.

DESTAQUES:


SHOW DO BANEGA NO MEIO CAMPO. Personalidade impressionante para sair jogando no meio de dois, tres jogadores adversários. Como protege bem a bola esse camisa 5. Com menos de 1 minuto do segundo tempo levou duas faltas seguidas dos atordoados jogadores Tchecos. A bola parece grudar nos pés dele! Com as prováveis aposentadorias de Veron e Cambiasso, a seleção Argentia principal estará muito bem servida com Ever Banega.

MAXI MORALEZ, com a cabeça enfaixada, a partir dos 10 minutos do segundo tempo, indo pro sacrifício e dando aquele passe maravilhoso pro Acosta no lance que originou o escanteio e o gol da virada com o camisa 9 Zarate.

O CAPITÃO E CAMISA 10 AGÜERO, disparado melhor jogador deste mundial, precisou de alguns minutos para "calar"o narrador da band Théo José, que já falava em ver a "Bola de Ouro" da FIFA, sendo entregue ao goleiro do Chile, dizendo ainda que o Argentino Aguero na “hora H”, semi-final contra o Chile, não havia jogado nada .

Vejo, a partir de 2008 em diante, uma geração ótima que esteve na Copa América, se mesclando a outra melhor ainda, ou pelo menos mais equilibrada entre a típica garra presente historicamente no jogador argentino renovada por revelações como os jovens Banega e Yacob e a habilidade maravilhosa de nomes como Messi, Maxi Moralez, Di Maria, Agüero, Tevez e Roman Riquelme.

O galinho Zico dia desses desabafou denunciando que as "divisões de bases" no Brasil, estãorenegando” a técnica em prol da disciplina tática.
A Argentina que vem fazendo muito bem a mescla desses valores em suas divisões de base, ACABA DE CONQUISTAR SEU QUINTO TÍTULO NOS ÚLTIMOS SEIS DISPUTADOS NA SUB-20, SE TORNANDO HEXA CAMPEÃ MUNDIAL NA CATEGORIA.
Assistindo as preferências dos últimos técnicos da seleção brasileira com relação ao meio-campo e ao ataque, com nomes como: Ronaldo "fenômeno" e Adriano, dois pesados postes que foram em 2006 e agora Júlio Batista, Fernando e Anderson (que parece sempre estar fora do seu peso ideal), percebi hoje a tarde durante a final do mundial sub 20, que o Brasil está bem próximo de se tornar uma República Tcheca. É só somarmos estas preferências acima mencionadas com a própria denúncia feita pelo Zico, essa previsão não é nenhum exagero certo?

E por favor, não façam como muitos brasileiros que ficaram se "borrando todos" até mais da metade do jogo final da última Copa América e depois apareceram aos montes tirando onda com comentários do tipo: Eu já sabia !! Argentina é freguês! e blá blá blá...

Comentem já!

Discordem AGORA !

Ser "Profeta do Acontecido" é muito fácil !

Créditos:
Foto do site: http://www.ole.com.ar
Texto original da foto: Con las manos en la Copa: Agüero y su ballet, Zárate tapa a Mercado, Insúa a Fazio, Piatti es petiso, Cahais, Sigali, grita el arquero Romero y Acosta. Duro 2-1 a República Checa y fiesta.

FICHA DA PARTIDA

ARGENTINA
Sergio Romero, Federico FazioInsua, Emiliano, Gabriel Mercado, Ever Banega, Matias Sanchez, Mauro Zarate, Sérgio Agüero, Leonardo Sigali, Maximiliano Moralez, (Alejandro Cabral), Pablo Piatti(Acosta)

T: Miroslav Soukup

REPÚBLICA TCHECA
Radek Petr, Lukas Kuban, Ondrej Mazuch, Jan Simunech, Ondrej Kudela, Martin Fenin, Jakub Mares (Marcel Gecov), Tomas Micola, Marek Strestik, (Tomas Perkart) Marek Suchy, Lubos Kalouda

T: Hugo Tocalli.

Gols: Fenin, aos 15 minutos do segundo tempo (Rep.Theca); Agüero, aos 17 minutos do segundo tempo e Zarate, aos 41(ARG).

Cartões amarelos: Kuban, Kudela, Simunech, Mazuch, Fenin e Micola(Rep. Theca); Sanchez, Zarate, Marcado e Banega (ARG)

Árbitro: Alberto Undiano Mallenco (ESP)Assistentes: Fermin Martinez (ESP) e Juan Carlos Yuste Jimenez (ESP)

Data: 22/07/2007

Estádio: Nacional Soccer Stadium (Totonto, Canadá)

17 de jul de 2007

ZÉ BATALHA, MANÉS ATRAPALHAM!



Vamos continuar dando ouvidos e principalmente NOSSO VOTO, para os velhos e novos "coronéis" e "caciques", vampiros que institucionalizaram a prática política de descaso com a vida em todas as suas formas de manifestação ?
Mais um ato político inconseqüente este de liberar a pista do aeroporto de Cumbica antes das devidas e conclusivas medidas técnicas de segurança, ocasionando esta tragédia com mais um avião da TAM e outras centenas de vítimas fatais, apenas 9 meses depois da outra tragédia com o avião da GOL, também por descaso com a vida humana .

Agora irão aparecer os políticos travestidos de PROFETAS DO ACONTECIDO, de paladinos da justiça. CPIS OPORTUNISTAS no atacado !
Ou não ?
Atletas no PAN dedicando vitórias e medalhas as vítimas desta tragédia. Duvidam ?

VAMOS ACORDAR !!

1 -VOTAR NULO EM 2008 !?

2 - LUTAR PELO FIM DO VOTO OBRIGATÓRIO!?

3 - ENXERGAR DE FATO O QUANTO ESTE PAN VEIO PRA ENCHER O BOLSO DE ALGUNS POUCOS E QUE MUITOS DE NOSSOS MEDALHISTAS ATÉ AQUI, TIVERAM MUITO POUCO OU QUASE NENHUM APOIO EM SUAS PREPARAÇÕES PARA OS JOGOS?

4 - NOTAR QUE COMO NUM PASSE DE MÁGICA A MÍDIA EM GERAL QUASE NÃO MENCIONA MAIS O COTIDIANO ESTADO DE CONFRONTO ENTRE TRAFICANTES DE DROGAS E A POLÍCIA EM VÁRIAS COMUNIDADES CARENTES DO ESTADO?

E AÍ, O QUE VAI SER ???


" (...) O país ficou feliz depois daquele gol
Todo mundo satisfeito, todo mundo se abraçou
muita gente até chorou com a comemoração
o orgulho de viver nesse país campeão e na favela,
no dia seguinte, ninguém trabalha
é o dia de enterrar o que sobrou do Zé Batalha.
Mas não tem ninguém pra carregar o corpo
Nem pra fazer uma oração pelo morto
Ta todo mundo com a bandeira na mão
esperando a seleção no aeroporto.
É campeão!Da hipocrisia, da violência, humilhação...
É campeão!Da ignorância, do desespero, desnutrição...
É campeão!Da covardia, e da miséria, corrupção...
É campeão!Do abandono, da fome, da prostituição... "

( Zé Batalha, Gabriel O Pensador )

"(...) Dizia um professor meu: "Quem está certo é quem está se dando bem". Sábia verdade, que os fatos só fazem confirmar. Não reforma nada aí. Quem quiser que também se faça na vida e, enquanto isso, o choro é livre e o relaxagozismo é recomendado."
( "Não reforma nada aí", João Ubaldo Ribeiro, jornal O Globo, 15/07/07 )

ENTÃO, E AÍ ?


Este artigo é "ASSINADO" não apenas por um músico e prof. de História, MAS PRINCIPALMENTE por um "PRETENCIOSO CIDADÃO" QUE TEME A CADA DIA PELO FUTURO DA SUA FILHA E DE TANTAS OUTRAS CRIANÇAS QUE ESTÃO AÍ A MERCÊ DE UM "BRASILEIRO" CADA VEZ MAIS EGOÍSTA, INDIVIDUALISTA E PASSIVO MESMO DIANTE DE TODA ESSA POLITICAGEM EM BANDO, DESNUDADA NOS ÚLTIMOS TEMPOS.

12 de jul de 2007

A TEORIA DO CANALHA

Estamos sob o ataque de um enxame de malfeitores

'Eu não sou um canalha, eu sou o canalha. Tenho orgulho de minha cara-de-pau, de minha capacidade de sobrevivência, contra todas as intempéries. Enquanto houver 20 mil cargos de confiança no país, eu estarei vivo, enquanto houver autarquias dando empréstimos a fundo perdido, eu estarei firme e forte. Não adianta as CPIs querendo me punir. Eu saio sempre bem. Enquanto houver este bendito código de processo penal, eu sempre renascerei como um rabo de lagartixa, como um retrovírus, fugindo dos antibióticos. Eu sei chorar diante de uma investigação, ostentando arrependimento, usando meus filhos, pais, pátria, tudo para me livrar. Eu declaro com voz serena: Tudo isso é uma infâmia de meus inimigos políticos. Eu não me lembro se esta loura de coxas douradas foi minha secretária ou não. Eu explico o Brasil de hoje. Eu tenho 400 anos: avô ladrão, bisavô negreiro e tataravô degredado. Eu tenho raízes, tradição. E eu sou também 'pós-moderno', sou arte contemporânea: eu encarno a real-politik do crime, a frieza do Eu, a impávida lógica do egoísmo.

No imaginário brasileiro, eu tenho algo de heróico. São heranças da colônia, quando era belo roubar a Coroa. Só eu sei do delicioso arrepio de me saber olhado nos restaurantes e bordéis. Homens e mulheres vêem-me com gula: 'Olha, lá vai o canalha....!' - sussurram fascinados por meu cinismo sorridente, os maîtres se arremessando nas churrascarias de Brasília, e eu flutuando entre picanhas e chuletas, orgulhoso de minha superioridade sobre o ridículo bom-mocismo dos corretos. Eu defendo a tradição endêmica da escrotidão verde-e-amarela. Sem mim, ninguém governa. Sem uma ponta de sordidez, não há progresso.

Eu criei o Sistema, que, em troca, recria-me persistentemente: meus meneios, seus ademanes, meus galeios foram construindo um emaranhado de instituições que regem o processo do país. Eu sou necessário para mantê-las funcionando. O Brasil precisa de mim.

Eu tenho um cinismo tão sólido, um rosto tão límpido que me emociono no espelho; chego a convencer a mim mesmo de minha honestidade, ah! ah!... Como é bom negar as obviedades mais sólidas e ver a cara de impotência de inquisidores. E amo a adrenalina que me acende o sangue quando a mala preta voa em minha direção, cheia de dólares. Eu vibro quando vejo os olhos covardes dos juízes me dando ganho de causa, ostentando honestidade, fingindo não perceber minha piscadela maligna e cúmplice na hora da emissão da liminar... Adoro a sensação de me sentir superior aos otários que me compram, aos empreiteiros que me corrompem, eles humilhados em vez de mim.

Eu sou muito mais complexo que o bom sujeito. O bom é reto, com princípio e fim; eu sou um caleidoscópio, uma constelação.

Sou mais educativo. O homem de bem é um mistério solene, oculto sob sua gravidade, com cenho franzido, testa pura. O honesto é triste, anda de cabeça baixa, tem úlcera.

Eu sou uma aula pública. Eu faço mais sucesso com as mulheres. Elas se perdem diante de meu mistério, elas não conseguem prender-me em teias de aranha, eu viro um desafio perpétuo, coisa que elas amam em vez do bondoso chato previsível. A mulher só ama o inconquistável. Eu conheço o deleite de vê-las me olhando como um James Bond do mal, excitadas, pensando nos colares de pérolas ou nos envelopes de euros. Eu desorganizo seu universo mental, muitas vezes elas se vingam de mim depois, me denunciando - claro - mas só eu sei dos gritos de prazer que lhes proporcionei com as delícias do mal que elas adivinhavam. Eu fascino também os executivos de bem, porque, por mais que eles se esforcem, competentes, dedicados, sempre sentir-se-ão injustiçados por algum patrão ingrato ou por salários insuficientes. Eu, não, eu não espero recompensas, eu me premio. Eu tenho o infinito prazer do plano de ataque, o orgasmo na falcatrua, a adrenalina na apropriação indébita. Eu tenho o orgulho de suportar a culpa, anestesiá-la - suprema inveja dos neuróticos. Eu sempre arranjo uma razão que me explica para mim mesmo. Eu sempre estou certo ou sou vítima de algum mal antigo: uma vingança pela humilhação infantil, pela mãe lavadeira ou prostituta que trabalhou duro para comprar meu diploma falso de advogado.

Eu posso roubar verbas de cancerosos e chegar feliz em casa e ver meus filhos assistindo a desenho na TV. Eu sou bom pai e penso muito no futuro de minha família, que graças a Deus está bem. Eu sou fiel a uma mulher só, que vai se consumindo em plásticas e murchando sob pilhas de Botox, mas nunca as abandono, apesar das amantes nas lanchas, dos filhos bastardos.

Eu não sou um malandro - não confundir. O malandro é romântico, boa-praça; eu sou minimalista, seco, mais para poesia concreta do que para o samba-canção. Eu tenho turbo-carros, gargalho em Miami e entendo muito de vinho. Sei tudo. Ultimamente, apareceram os

canalhas revolucionários, que roubam 'em nome do povo'. Mas eu, não. Sou sério, não preciso de uma ideologia que me absolva e justifique. Não sou de esquerda nem de direita, nem porra nenhuma. Eu sou a pasta essencial de que tudo é feito, eu tenho a grandeza da vista curta, o encanto dos interesses mesquinhos, eu tenho a sabedoria dos roedores.

Eu confio na Justiça cega do país, no manto negro dos desembargadores que sempre me acolherão. Eu sou mais que a verdade, eu sou a realidade. Eu acho a democracia uma delícia. Eu fico protegido por um emaranhado de leis malandras forjadas pelos meus avós. E esses babacas desses jornalistas pensam que adianta esta festa de arromba de grampos e escândalos. Esses shows periódicos dão ao povo apenas a impressão de transparência, têm a vantagem de desviar a atenção para longe das reformas essenciais e mantêm as oligarquias intactas. Este país foi criado na vala entre o público e o privado. Florescem ricos cogumelos na lama das maracutaias. A bosta não produz flores magníficas? Pois é. O que vocês chamam de corrupção, eu chamo de progresso. Eu sou antes de tudo um forte!."

Artigo de Arnaldo Jabor,
transcrito de O Globo, dia 26 de junho de 2007
Publicado dia 08/07/07 no O Globo Online

9 de jul de 2007

LUIZ ANTONIO MELLO

SENHORES DA GUERRA

Não vamos exagerar concordando com quem diz que a nossa cultura aportou por aqui trepada na hipocrisia. Há muitas, muitas exceções. Mas não dá para engolir sem sal de frutas quando alguém, seja lá quem for, diz que foi numa festinha animada onde rolava de tudo, fingindo que não sabe que os compradores de bagulhos, da maconha à heroína, via cocaína e ecstasy, são os verdadeiros senhores da guerra no Rio. Não é preciso ser um gênio para concordar que o dinheiro que vai para a mão do corretor do traficante vai se transformar em armas e poder. Cada grama de droga gera milhões e milhões de reais às cidadelas do tráfico que, como bem diz o secretário de segurança do Estado, José Mariano Beltrame, tem que ser retomadas com remédio amargo. O presidente Lula foi mais longe ao dizer, em discurso, que não se combate o tráfico espalhando pétalas de rosas.

Certa vez, Rubem Braga provocou um cacarejo generalizado quando escreveu que o Brasil não é uma nação, mas um acampamento provisório. Argumentou que é essa a verdadeira condição de uma pátria sem patriotas. No caso do tráfico parece óbvio que quem financia é quem consome, assim como, por exemplo, o mercado de automóveis cresce proporcionalmente ao volume de vendas. A hipocrisia finge que não vê, mas os "sócios" informais dessa narconojeira são os anjinhos de pau oco que compram "bagulhinhos". De anjinho em anjinho, os bagulhinhos transformam-se num negócio gigantesco em que a morte é o gerente geral. Muito louco o nosso Brasil, onde transmissão de corrida de Fórmula 1 tem entre os patrocinadores a cerveja, "combustível" que mais mata nas ruas e estradas.

Os Estados Unidos deram um tombo considerável no tráfico quando, no final dos anos 90, decidiram prender usuários. De preferência celebridades, ou parentes de colunáveis para gerar a chamada "visibilidade", vulgo exemplo. Claro que não foi apenas esse tipo de ação que deixou os traficantes de lá desesperados. Segundo Steven Levitt e Stephen Dubner, autores do best seller Freaknomics (à venda no Brasil), a legalização do aborto nos EUA em 1975 também quebrou várias pernas no narcobussiness. Baseados em pesquisas sérias, os autores constataram que 87% dos filhos não desejados pelas mães se tornam criminosos. Com a legalização do aborto, que nos EUA é feita com respeito, higiene e atendimento médico e psicológico em hospitais públicos, no século 2,1 a criminalidade atingiu níveis baixíssimos nas metrópoles por uma simples razão: segundo o Dubner e Levitt os bandidos não nasceram.

Voltando ao Rio/Brasil, se o governo continuar nessa linha de devolver a população regiões que são governadas pelo tráfico, partir para a prisão de consumidores (de preferência ilustres) e ouvir o grito do ministro da Saúde José Gomes Temporão denunciando que o aborto clandestino (segundo ele, baseado em dados do Instituto de Medicina Social da Uerj, são 1 milhão e 40 por ano) é um escândalo de saúde pública. Aí sim acende-se a luz no fim do túnel. Mas, sabemos que tudo isso é improvável. O controle da natalidade não interessa àqueles que vivem da miséria e a indústria do pistolão acaba escondendo celebridades e seus "bagulhinhos" da mídia. Mas quem sabe um dia tombam também esses tabus? Teremos, enfim, a sonhada nação inexistente de Rubem Braga? E-mail: lam@ofluminense.com.br.

Luiz Antonio Mello é jornalista,
publicitário, produtor fonográfico, diretor de TV e escritor.

Publicado em 08/07/2007
Jornal O Fluminense

www.ofluminense.com.br

8 de jul de 2007

Por que torço pela Argentina no futebol?



Devemos encarar como patriotismo, pura e simplesmente, o bom desempenho que nossos hermanos vêm apresentando em campo nos últimos tempos?
Acho um exagero que pode levar a uma análise simplista, que no fim acaba escondendo uma verdade latente, que vem alimentando o saudosismo e causando uma boa inveja em nós brasileiros, fãs do bom futebol. Vocês se lembram do futebol arte dos tempos do Telê, técnico sistematicamente execrado pelos treinadores atuais e lembrado apenas em seu pior momento, ou seja, na derrota para a Itália na copa da Espanha?
Ver a garra, a “fome de bola” e a cumplicidade fraternal que compõem o perfil dos jogadores da seleção Argentina de futebol faz lembrar do saudável amadorismo que tínhamos pelos gramados daqui lá pelas décadas de 50, 60 e 70 até o finalzinho da década de 80, se tanto.
Aquele mesmo amadorismo que encoraja os peladeiros de carteirinha e as sagradas peladas dos sábados e domingos às oito horas da matina e aquelas quadras de grama sintética, alugadas às segundas-feiras, muitas das vezes, a partir das 22 horas.
Não posso deixar de registrar que ali, ao lado do companheirismo e da garra constante nas disputas de bola, tabelam com maestria um lúcido e firme entrosamento tático e uma excepcional destreza técnica de jogadores como Lionel Messi, Carlitos Tevez, Juan Román Riquelme, Javier Mascherano, Pablo Aimar, Javier Saviola e Zaneti.
Já na última copa do mundo, essa seleção Argentina merecia melhor sorte do que ficar para trás nos pênaltis contra a Alemanha nas quartas-de-final. Jogadores da campeã Itália foram categóricos em afirmar que a Argentina era o melhor time do último mundial.
Dos últimos seis Mundiais da categoria Sub-20, a Argentina conquistou quatro. Somados ao primeiro mundial conquistado por ela em 1979, é hoje pentacampeã e a maior detentora de títulos na categoria.
Desculpem-me os brasileiros que só lembram de patriotismo às 21h45min de algumas quartas-feiras e às 17 horas de tantos domingos e nas copas a cada quatro anos, mas essa geração de jogadores argentinos e conseqüentemente de seleções formadas naquele país nos últimos 13 a 15 anos, estiveram, mesmo com os títulos brasileiros de 94 e 2002, a frente de qualquer seleção brasileira pós copa da Itália de 1990.
Nem nos tempos áureos de Diego Armando Maradona, de 82 a 90, eles tiveram uma geração tão boa. Dieguito literalmente “carregou” nas costas várias seleções, com exceção talvez daquele bom time da copa de 94, que justamente na fase final da copa, depois de uma campanha impecável até ali, se desnorteou com a “bomba” do doping que eliminou Maradona da competição.
Nas categorias de base a situação se repete pois enquanto a Argentina se classificou com folga nas quartas-de-final, o Brasil perdeu para a Polônia e para os Estados Unidos na primeira fase e está no momento na dependência de outros resultados para tentar se classificar como terceiro melhor colocado.
Enfim, tirando destaques individuais maravilhosos e escassos dos últimos tempos como Kaká, Ronaldinho Gaúcho e Robinho, os Argentinos estão sobrando em termos táticos e técnicos nos últimos anos.

Em destaque na foto: Lionel Messi

Maiores informações:

http://esportes.terra.com.br/futebol/copa2006/selecoes/argentina

http://www.afa.org.ar/